Turismo de aventura sem seguro viagem, tô fora!!!

Turismo de aventura – uma realidade atual!!!

Para começarmos a considerar este assunto, veja este vídeo a respeito do turismo de aventura:

Turismo de aventura – O turista e seu comportamento

O comportamento dos turistas ao redor do mundo vem mudando ano após ano e, com isso, aparecem novas motivações de viagens que antes não existiam. Como vivemos na era da informação, basta surgir uma moda diferente que em poucos dias já estamos sabendo e criando expectativas para fazer igual.

Atualmente os turistas exigem, cada vez mais, roteiros turísticos que se adaptem às suas expectativas, desejos e preferências. Buscam novas experiências aliadas principalmente com o contato com a natureza.

Consequentemente, com o aumento dessa busca, aconteceu o aumento da oferta de novos produtos de turismo. Diante disso e considerando o aumento da demanda nacional e internacional por tais experiências, o Ministério do Turismo considera o segmento de Turismo de Aventura como prioritário para investimentos em organização e estruturação, porém muito ainda precisa ser feito, principalmente quando o assunto é sobre o risco que este tipo de turismo pode oferecer.

Turismo de aventura

Tipos de Turismo de aventura

Para apoiar esta consideração no Ministério do Turismo, foi realizado um estudo de mercado pela Universidade George Washington no ramo de Turismo de Aventura, onde indicou enorme crescimento no setor de viagens de aventura durante os últimos anos.

Neste mesmo estudo, fizeram uma sútil separação entre aventura ‘hard’ e aventura ‘soft’, contudo antes de explicar em detalhes cada uma das duas, é interessante sabermos o que a palavra aventura significa:

“Aventura, do latim adventura – o que há por vir, remete ao diferente e ao inusitado. Nesse conceito, consideram-se atividades de aventura as experiências físicas e sensoriais recreativas que envolvem desafios e que podem proporcionar sensações diversas como liberdade, prazer e superação, a depender da expectativa, do envolvimento e da experiência do turista além do nível de dificuldade de cada atividade.”

E o termo mais completo: Turismo de aventura, compreende os movimentos turísticos decorrentes da prática de atividades de aventura de caráter recreativo e não competitivo.

Definição de turismo de aventura

Dito isso, fica fácil separarmos o que vem a ser turismo de aventura “hard” e turismo de aventura “soft”:

  • Turismo de aventura “hard”: Como o próprio nome indica, inclui as atividades consideradas de alto risco e exigem alto nível de habilidade para praticá-las;
  • Turismo de aventura “soft”: São àquelas que normalmente fazemos quando estamos de férias, como nadar, esquiar, surfar, etc.

Em uma pesquisa feita recentemente, foi gerado um gráfico do percentual de turistas que praticam atividades de aventura ou ecoturismo.

turistas que praticam atividades de aventura ou ecoturismo

Conforme o gráfico:

  • 28% dos entrevistados nunca realizaram atividades de aventura e ecoturismo em suas viagens, 
  • 13% realizaram 01 atividade,
  • 34% realizaram de 02 a 05 atividades,
  • 21% realizaram de 06 a 10 atividades e
  • 4% realizaram mais de 10 atividades.

Seja, percebeu por esta pesquisa que quase sempre fazemos turismo de aventura, mesmo não estando conscientes disto.

É interessante notar, que muitas atividades que você pode fazer em resorts ou em navios de cruzeiro são consideradas atividades de aventura por sua empresa de Seguro Viagem.

cotação seguro viagem

Algumas atividades de aventura pressupõem determinado esforço e riscos assumidos, como por exemplo: surfar, esquiar, mergulhar; que dependendo da atividade pode variar de intensidade conforme a exigência de cada atividade e a capacidade física e psicológica do turista, requerendo assim, que o Turismo de Aventura seja tratado de modo particular, especialmente quanto aos aspectos relacionados à segurança.

Dessa forma, sabendo do alto risco de acidentes neste tipo de turismo, quase todos os planos de seguro viagem exclui especificamente a cobertura para as atividades que são consideradas mais arriscadas – por razões óbvias – e isso significa que você acabaria por pagar suas próprias despesas médicas caso participe de algum turismo de aventure e sofra algum acidente.

Para demonstrar melhor o que acabamos de expor, transcrevemos a seguir um trecho de uma apólice de um plano de Seguro Viagem, onde transcrevemos a parte que exclui a cobertura por eventuais acidentes ocorridos praticando estes esportes:

 “Consideram-se alterações de risco, entre outras, as seguintes ocorrências:

a)     Prática de esportes (profissional ou amador) tais como:

  • Alpinismo, (no final deste artigo descrevemos cada tipo de atividade)
  • balonismo,
  • asa delta,
  • voo livre,
  • paraquedismo,
  • hipismo,
  • mergulho com equipamentos de ar comprimido,
  • esqui aquático e na neve,
  • motociclismo ,
  • automobilismo,
  • boxe,
  • lutas-livres,
  • artes marciais e
  • demais esportes considerados de alto risco.

O Segurado está obrigado a comunicar à Seguradora, logo que saiba, qualquer fato suscetível de agravar o risco coberto, sob pena de perder direito à cobertura, caso fique comprovado que silenciou-se por má-fé.”

Alguns planos de seguro viagem cobrem squi, e outros não. Alguns cobrem mergulho com cilindro até uma certa profundidade e outros os excluem completamente. Além disso, mesmo que a atividade não seja listada como excluída, você não pode assumir que esteja coberto.

Portanto, a melhor coisa que podemos fazer é ter certeza que nosso plano de seguro viagem possua todas as modalidades de cobertura, inclusive às que nem sonhamos precisar.

 Mas aí você fala: “mas eu já mergulho há 20 anos, não preciso de seguro viagem”.

Tudo bem, até entendo seu ponto vista, mas saiba que mesmo tendo uma enorme habilidade e experiência, nosso instinto tenta sempre superar nossos limites, portanto quanto mais sabemos mais riscos corremos. Por exemplo, para mergulhar em um local desconhecido numa profundidade que você nunca esteve o risco de algum tipo de acidente é extremamente alto, até para um expert no assunto.

Dentre todos os seguros viagem disponíveis no mercado, continuo indicando a World Nomads, por saber que ele ainda é o mais completo em coberturas, principalmente nas coberturas referente ao turismo de aventura. Veja abaixo uma lista de todos os esportes radicais cobertos pela World Nomads (Clique na imagem):

World nomads

A diversidade de atividades de Turismo de Aventura

A diversidade de atividades de Turismo de Aventura que materializam esse segmento varia sob  diferentes aspectos em função dos territórios em que são operadas, dos equipamentos, habilidades e técnicas exigidas em relação aos riscos que podem envolver e da contínua inovação tecnológica. Optou-se por agrupar as atividades de Turismo de Aventura mais conhecidas pelo mercado utilizando três elementos da natureza (terra, água e ar), cientes de que algumas podem envolver mais de um desses elementos ao mesmo tempo e ocorrer em ambientes diversos, fechados, ao ar livre, em espaços naturais ou construídos:

Turismo de aventura – Esportes na Terra

Arvorismo – Locomoção por percurso em altura instalado em árvores ou em outras estruturas.

Bunge jumpAtividade em que uma pessoa se desloca em queda livre, limitada pelo amortecimento mediante a conexão a um elástico. 0 elástico é desenvolvido especificamente para a atividade.

Cachoeirismo – Descida em quedas d’água, seguindo ou não ò curso d’água, utilizando técnicas verticais.

Canionismo – Descida em cursos d’água, usualmente em cânions, sem embarcação, com transposição de obstáculos aquáticos ou verticais. 0 curso d’água pode ser intermitente.

Caminhada – Percursos a pé em itinerário predefinido.

Caminhada(sem pernoite) – Caminhada de um dia. Também conhecida por hiking.

Caminhada de longo curso – Caminhada em ambientes naturais, que envolve pernoite. 0 pernoite pode ser realizado em locais diversos, como acampamentos, pousadas, fazendas, bivaques, entre outros. Também conhecida por Trekking.

Cavalgadas – Percursos em vias-convencionais e não convencionais em montaria, também tratadas de Turismo Equestre.

 Cicloturismo – Atividade de turismo que tem como elemento principal a realização de percursos com o uso de bicicleta, que pode envolver pernoite.

Espeieoturismo – Atividades desenvolvidas em cavernas, oferecidas comercialmente,em caráter recreativo e de finalidade turística.

Espeleoturísmo vertical – Espeleoturismo de Aventura que utiliza técnicas verticais.7

Escalada – Ascensão de montanhas, paredes ou blocos rochosos, com aplicação de técnicas e utilização de equipamentos específicos. 

Montanhismo – Atividade de caminhada ou escalada praticada em ambiente de montanha.

Turismo fora-de-estrada em veículos 4×4 ou burguês – Atividade de turismo que tem como elemento principal a realização de percursos em vias não-convencionais com veículos automotores. O percurso pode incluir trechos em vias convencionais.

Tirolesa – Produto que a atividade principal é o deslizamento do cliente em uma linha aérea ligando dois pontos afastados na horizontal ou em desnível, utilizando procedimentos e equipamentos específicos.

Turismo de aventura – Esportes no Ar

Balonismo – Atividade aérea feita em um balão de material anti-inflamável aquecido com chamas de gás propano, que depende de um piloto.

Paraquedismo – Salto em queda livre com o uso de pára-quedas aberto para aterrissagem,  normalmente a partir de um avião. Como atividade de Turismo de Aventura, é caracterizado pelo salto duplo.

Voo Livre (Asa Deita ou Parapente) – Atividade com uso de uma estrutura rígida que e manobrada com o deslocamento do peso do corpo do piloto ou por superfícies aerodinâmicas móveis (asa delta), ou até por ausência de estrutura rígida como cabos e outros dispositivos (parapente).

Turismo de aventura – Esportes na Água

Bóia-cross – Atividade praticada em um mmibote inflável, onde a pessoa se posiciona de bruços para descer o no, com a cabeça na extremidade frontal da bóia e os pés na parte final da bóia, já praticamente na água Também conhecida como acqua-ride.

Canoagem – Atividade praticada em canoas e caiaques, indistintamente, em mar, rios, lagos, aguas calmas ou agitadas.

DuckDescida de rios com corredeiras utilizando botes infláveis e remos, com capacidade para até duas pessoas.

Flutuação / SnorkelingAtividade de flutuação em ambientes aquáticos, com o uso de máscara e snorkel, em que o praticante tem contato direto com a natureza, observando rochas, animais e plantas aquáticas. Usualmente utilizam-se coletes salvavidas

Kitesurfe – Atividade que utiliza uma prancha fixada aos pés e uma pipa de tração com estrutura inflável, possibilitando deslizar sobre a superfície da água e, ao mesmo tempo, alçar voos executados sobre superfícies aquáticas, com ventos fracos ou fortes .

Mergulho autónomo turístico – Produto turístico em que a atividade principal é o mergulho autônomo e o praticante não é necessariamente um mergulhador qualificado

RaftingDescida de rios com corredeiras utilizando botes infláveis.

Windsurfe – Atividade praticada em ambientes aquáticos, também denominada prancha a vela, que se serve, basicamente, de técnicas do surfe e da vela.

 worldnomads_logo

 

A diversidade de práticas de Turismo de Aventura, que muitas vezes estão relacionadas a outros segmentos, varia sob diferentes aspectos, em função dos territórios e do tipo de atividades que são praticadas, habilidades e da motivação do turista.

Coberturas extras para equipamentos e bens

Caso você possua seu próprio equipamento de esportes, você também irá precisar de um seguro para eles pois a cobertura de bagagem sempre tem limites por item, e estes limites não são muito altos. Portanto mais uma vez entra em cena o Seguro para proteção de equipamentos da World Nomads, este com cobertura para equipamentos e bens, vale conferir!!!

Veja mais artigos sobre o assunto:

 

 

 

Turismo de aventura sem seguro viagem, tô fora!!!
5 (100%) 2 votes
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *